1/5
NÃO CONTÉM GLÚTEN 

Escola de Artes Visuais no Parque Lage / Encerramento do IV Colóquio de Filosofia e Ficção /UERJ - maio 2009

 

Na sociedade de consumo, o controle excessivo da própria imagem corporal se manifesta na construção de “Super-Corpos’’. Malhados, talhados, esticados em formas perfeitas, corpos exibem-se moldados com bexigas de plástico. Um desfile violento os derruba dentro da piscina com água. Boiando na hiper-atividade consumidora os “Super-Corpos” comem-se uns aos outros. A performance expõe um canibalismo sem glúten.

DISSOLUÇÕES PUBLICITÁRIAS

Mostra Livre de Artes (MOLA) Circo Voador - RJ - outubro 2009

 

Felicidade garantida no maravilhoso mundo das publicidades! Os performers, vestidos com sofisticadas roupas de papel, desfilam na passarela de outdoors e atiçam os desejos de uma vida melhor a qualquer custo. Os espectadores matam sua sede de consumo ao jogarem baldes d'água sobre os performers como corpos-objetos de consumo. As baldadas d´água transformam o desfile em lixo de papel molhado.

 

Participação do Coletivo Dadalu na criação/confecção das roupas de papel 

PERFORMANCES

FONTES 

Circo Voador / RJ - 2010

 

A ação coletiva de encher sacos com água instala uma fonte artificial sob os Arcos da Lapa - aqueduto construído em 1723 para transportar a água do rio carioca e distribuí-la aos habitantes do Rio de Janeiro. Na performance, a higienização da água em sacos plásticos incorpora imagens em vídeo da cidade. A tela projetada se transforma em fonte: os performes rasgam os sacos de água interagindo com imagens da privatização da água no meio urbano.

BANHO DE LAURA 

Fórum Internacional – Rio Cidade Criativa. Arte e Cultura na revitalização de comunidades, bairros e cidades / RJ - outubro 2010

 

Ocupação da fachada da Casa de Cultura Laura Alvim com quedas de água salgada retirada do mar de Ipanema. Homens e mulheres, com vestidos e saias pretas,  homenageiam Laura Alvim (1902-1984) - mulher que subverteu os costumes sociais impostos à sua condição feminina e incentivou a vida artística da cidade do Rio de Janeiro, fazendo de sua própria casa um centro cultural.

RIO CARIOCA  

Global Water Dance, promovido no Brasil pela Osdoisciadedança e realizado no Aterro do Flamengo em julho 2011. 

Vídeo

Retirada de água da baía de Guanabara para sua despoluição simbólica. A reinvenção da linha do horizonte, com baldes coloridos na areia, remete à mobilidade dos limites entre terra e água nas reformas urbanísticas do Rio de Janeiro. A água poluída é exposta em baldes, emoldurando e vazando a paisagem do aterro do Flamengo.

FACHA D'ÁGUA 

Ser Urbano : Cidade-Projétil. Quinta semana de arquitetura e urbanismo da PUC Rio - outubro 2010. 

 

Ocupação da fachada do prédio de arquitetura da PUC- Rio com quedas d’água. O transporte coletivo de baldes com água desvia os fluxos de deslocamento e sinaliza trajetos inesperados no campus da Universidade. No final deste percurso, 80 litros de água são jogados do alto do prédio do curso de arquitetura. Sob as quedas d´água, um banho coletivo expõe a intimidade dos corpos e desestabiliza os limites entre espaço público e privado.