Da lama tóxica ao aquecimento/esquecimento global

June 1, 2017

Extração de minério no trecho Bh-Vitória / Foto: Eloísa Brantes

 

 

Coincidência. O dia em que a equipe completa de “Volume Morto” chega na Vila de Regência, Donald Trump decide a saída unilateral dos Estados Unido do Acordo de Paris sobre o Clima. Em dezembro de 2015, 194 países assinaram esse documento histórico com o compromisso de conter o aumento da temperatura global. Ora, o presidente do segundo país com maior impacto no aquecimento global, e da primeira potência econômica, diplomática e militar do planeta, foge das suas responsabilidades deixando o mundo em chamas.


A situação atual de pequena vila Regência na boca do Rio Doce é indissociável do crime socioambiental da Samarco (VALE/ BHP Billiton), que desde novembro de 2015 atingiu o Rio Doce - um dos maior rio do Brasil - em quase todo o seu comprimento. 

 

Mas esse crime socioambiental – provavelmente o maior que o Brasil já conheceu -, participa também de um cenário dominante cujo paradigma global ultrapassa as fronteiras do Brasil e que, na sua pior vertente possível, é representada pela atual decisão do Trump.

 

Extração e uso sem freio das energias fósseis, mineração extremamente predatória, desflorestação, agricultura intensiva e industrial... Tudo isso reflete uma relação predatória do homem com a natureza e um modelo de desenvolvimento insustentável. O capitalismo descontrolado, que se tornou o modelo econômicohegemônico, continua desconsiderando as consequências ambientais e sociais das suas atividades.

 

O crime ambiental da Samarco e a decisão do Trump são as duas faces de mesma irresponsabilidade do “povo da mercadoria”, como o militante indígena e xamã Davi Kopenawa chama, por oposição aos “povos da floresta”, os homens brancos*.

                                                 

  *Bruce Albert e Davi Kopenawa, A queda do céu. Palavras de um xamã yanomami, Cia das Letras, 2016.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Recentes

June 4, 2017

June 3, 2017

Please reload

Arquivo
Please reload

Tags
Please reload

DIÁRIO

Saiba mais em 
PROJETO