Please reload

10 Jul 2017

Na vila de Regência, vários tipos de redes de pesca (redes de espera, redes de calão, tarrafas...) estão suspensas nos quintais das casas dos pescadores. As redes ficam esticadas entre dois pilares, e muitas vezes, penduradas em grandes árvores. 

De onde vem esse hábito e para que serve? Aparentemente, esta é uma maneira de arrumar e armazenar as redes, esticá-las para que não percam a forma e elasticidade (pois o náilon é frágil), conservá-las fora do sol direito, da umidade ou da poeira do chão. O pescador Zé de Sabino afirmou com certo orgulho que ele foi o primeiro a iniciar essa prática de pendurar as redes em árvores. Alguns pescadores que fabricam novas redes - as costurando a mão- as põem nas árvores do solar da casa na intenção de vendê-las, com é o caso de seu Darcy e suas belas tarrafas.

Mas, além dessas explicações práticas, surgem algumas perguntas. A beleza visual dessas “instalações” é a mera consequência involuntária de uma escolha técnica ou também resulta de uma intençã...

19 Jun 2017

Mãe Edna gosta de conversar e de contar histórias. Com uma facilidade desconcertante (para mim), ela passa de um registro da realidade a um outro. São lembranças encantadas da infância em Regência há 60 anos, expressão de saudade de um pai tão amado, visões da mediunidade e diálogos íntimos com suas numerosas “entidades” sobrenaturais (Boiadeiro das Almas, Caboclo Sete Flechas, alguns Orixás...), cantos e rezas, comentários lúcidos sobre a vida, rememorações de encontros marcantes... Tudo isso se mistura no fluxo de uma narrativo cheia de poesia e de magia. Ouvi-la é se deixar levar pelas circunvoluções barrocas da oralidade, no prazer de compartilhar a experiência de uma vida muito singular, marcada por múltiplas formas de transcendência.

Depois de morar décadas na região de Vitoria, Dona Edna, mãe-de-santo iniciada na Umbanda desde criança, voltou a viver recentemente na vila de Regência, por ter sido chamada pelas suas entidades.

Ela passou boa parte da sua infância, de 7 as 14 anos d...

19 Jun 2017

Todo um imaginário atravessa os objetos, as técnicas e os conhecimentos ligados a pesca artesanal. Na foz do Rio Doce, iniciei uma pesquisa sobres as armadilhas de pesca tradicionais.

Na festa do Caboclo Bernado, em Regência, durante as apresentações das bandas de Congo, conheci seu Simião. Além de famoso construtor de barcos e pescador, Simião é um líder comunitário e o presidente da associação dos pescadores de Povoação, uma vila vizinha, com 600 famílias, que fica entre o rio, o mar e a lagoa. Na manhã seguinte da festa, coloquei a bicicleta no barco de dois pescadores, atravessei a boca da barra com eles, e pedalei uns 8 km até Povoação. Simião me recebeu com carinho, mostrou a vila e os arredores, contou parte da história do lugar e da pesca local. Me apresentou um amigo dele um pouco mais velho. Seu Arnaldo, hoje com 88 anos, tem uma vida dedicada a pesca. Ele só parou de pescar e de confeccionar os jequiás porque quase perdeu a visão. O jequiá (ou jequí) é uma armadilha artesanal...

1 Jun 2017

Extração de minério no trecho Bh-Vitória / Foto: Eloísa Brantes

Coincidência. O dia em que a equipe completa de “Volume Morto” chega na Vila de Regência, Donald Trump decide a saída unilateral dos Estados Unido do Acordo de Paris sobre o Clima. Em dezembro de 2015, 194 países assinaram esse documento histórico com o compromisso de conter o aumento da temperatura global. Ora, o presidente do segundo país com maior impacto no aquecimento global, e da primeira potência econômica, diplomática e militar do planeta, foge das suas responsabilidades deixando o mundo em chamas.


A situação atual de pequena vila Regência na boca do Rio Doce é indissociável do crime socioambiental da Samarco (VALE/ BHP Billiton), que desde novembro de 2015 atingiu o Rio Doce - um dos maior rio do Brasil - em quase todo o seu comprimento. 

Mas esse crime socioambiental – provavelmente o maior que o Brasil já conheceu -, participa também de um cenário dominante cujo paradigma global ultrapassa as fronteiras do Brasil...

Please reload

June 4, 2017

June 3, 2017

Please reload

Posts Recentes
Tags
Arquivo
Please reload

DIÁRIO

Saiba mais em 
PROJETO